segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Tag: Dia dos Namorados

Decidi trazer-vos uma tag fofinha que combina com a ocasião, o dia dos Namorados! (Apesar de já estar dois dias atrasada... Desculpem por não ter conseguido postar antes.) Eu tive a sorte de não passar o dia solteira e vocês? Como foi o vosso dia dos namorados?

Vi a tag no blog “Clube de Livros” (https://clubedelivroswattpad.wordpress.com/2017/06/13/tag-dia-dos-namorados/), mas não sei quem criou.

Sem mais demoras, aqui vamos à tag!
 
1 – Qual seu casal literário favorito?

É difícil escolher um casal como o favorito, mas vou dizer a Fani e o Leo (“A Minha Vida é um Filme” de Paula Pimenta), porque sempre foram um casal que eu via como exemplo de perfeição (com os problemas normais de um casal também, mas muito fofo na mesma).

 
2 –  Qual seu top 3 de namorados (as) fictícios (as)?

Aqui está o meu top 3: (Há resenha no blog dos livros dos dois últimos casais mencionados.)
- Fani e Leo (“A Minha Vida é um Filme” de Paula Pimenta)
- Clara e Tucker (“Celestial” de Cynthia Hand)
- Addison Coleman e Trevor (“Encruzilhada” de Kasie West)

 
3 – Que estereotipo romântico você gostaria que as pessoas parassem de usar?

O estereótipo da menina boazinha e estudiosa que se apaixona pelo bad boy rico e popular e depois tudo fica perfeito e vivem felizes para sempre.

 
4 – Que casal literário é terrível um para o outro?

Não sei mesmo que casal referir para esta categoria, porque todos aqueles que eu “conheço” não são terríveis um para o outro.

 
5 – Melhor adaptação de livro de romance para filme?

Quem me conhece, sabe que em muitos casos, só vi o filme da adaptação e não cheguei a ler o livro em que ele se baseou. Mas com “A Culpa é das Estrelas”, li o livro e vi o filme e adorei a adaptação. Achei que ficou bastante fiel e tem todas as partes importantes do livro.

 
6 –  Qual é o melhor livro para ler para o seu namorado?

Qualquer livro feminista deve ser um bom livro para ler ao namorado.

 
7 – Que tipo de livro você diria que é o seu preferido para um primeiro encontro?

Acho que diria um dos meus livros preferidos verdadeiramente e não estaria a inventar, porque, caso ele goste de mim, tem de ser pelo que eu sou e não pelo que finjo ser.
Um dos que eu diria poderia ser “Celestial” de Cynthia Hand, por exemplo.

 

8 – Melhor livro para ler depois de terminar uma relação?

Ambos são fantásticos, por isso, podem apontar para os ler após um término de relacionamento: “diz-lhe que não” da Helena Magalhães e “A Química dos Nossos Corações” de Krystal Sutherland.

 
9 – Qual o seu casal homossexual preferido no mundo literário?

Li pouquíssimos livros com temática LGBT, por isso não tenho muito por onde escolher. Clementine e Emma são o casal homossexual protagonista do livro “O Azul é uma Cor Quente”

de Julie Maroh.
 
 
10 –  Qual livro você daria como símbolo da sua afeição?

Como sou uma pessoa romântica, acho que iria oferecer um livro de poemas românticos, mais pela carga simbólica. O livro “Doze Poemas de Amor” é um ótimo exemplo e está a um excelente preço na wook. É uma prendinha simples, barata, mas simbólica. (Para os interessados, aqui está o link de compra: https://www.wook.pt/livro/doze-poemas-de-amor/13073687)

 
Espero que tenham gostado e quem quiser fazer fique à vontade!
 
Beijinhos e boas leituras!


 Lia

domingo, 28 de janeiro de 2018

Primeiras Impressões, Vantagens e Desvantagens do Kindle Paperwhite

Fiz 19 anos no dia 12 deste mês e ofereceram-me o Kindle Paperwhite como prenda de anos. Obviamente que fiquei muito feliz, porque já era algo que eu queria à algum tempo.

O post de hoje é apenas com as minhas primeiras impressões sobre o pouco tempo de uso que lhe dei, uma vez que o tenho à relativamente pouco tempo. Irei falar-vos também de algumas vantagens e desvantagens deste pequeno aparelhinho.

Quem quiser comprar em Portugal, sem ser através da Amazon Internacional, pode comprar na Fnac Online (aqui está o link, caso alguém tenha interesse: https://www.fnac.pt/mp9419321/Ebook-Reader-Amazon-Kindle-Paperwhite-WiFi-Wi-Fi-Branco?omnsearchpos=1)

Para os mais curiosos que se possam estar a questionar sobre a cor, o meu é em branco (o que na minha opinião é bem mais bonito).

Já há algum tempo que comecei a ler e-books no telemóvel, mas sei que não é exatamente a forma mais correta de os ler, no que toca às consequências da luz transmitida pelo telemóvel nos olhos, durante muito tempo. Esse era um dos fatores mais importantes, pelo qual eu queria ter um Kindle.

Além disso, o Kindle Paperwhite dispõe de uma luz (que pode ser regulada) que não afeta os olhos, mas que nos permite ler à noite, é um aparelho pequeno, fino, leve e perfeito para ser transportado em viagens, por exemplo, pela quantidade de livros que suporta e pelo espaço que ocupa.

A compra de e-books sai mais barata do que o livro físico, não ocupam espaço na prateleira (o que pode ser tanto uma vantagem, como uma desvantagem, no caso dos colecionadores). A compra é instantânea e sem sair de casa, demorando apenas alguns segundos desde a compra até se puder começar a ler.

Pode-se regular o tamanho, tipo de letra, espaçamento e alinhamento do texto dos livros, o que é bastante bom e nos permite adaptar o texto às nossas preferências.

Para os fãs de marcar quotes com post-its (tipo eu), o kindle permite-nos marcar quotes, selecionando a frase “sublinhando-a” e guardando, acompanhado de alguma nota que nós queiramos acrescentar, ou simplesmente só a quote. Temos acesso à percentagem do livro que já foi lida, o que nos ajuda a perceber em que “situação” do livro é que nos encontramos.

O Kindle dispõe ainda de dicionário, o que facilita bastante para quem quer ler em outra língua (eu própria prentendo me aventurar na leitura em inglês, num futuro breve).

Além disso, podemos conectar o kindle a uma rede wifi e aceder ao Goodreads na versão Paperwhite (não tenho a certeza se isto acontece nas outras versões também ou não). Para quem ainda não me segue por lá, aqui está o link do meu perfil no Goodreads: https://www.goodreads.com/user/show/66497127-lia.

O formato dos e-books do kindle é o formato mobi, mas também lê ficheiros em pdf e em mais alguns formatos, mas o que acontece é que, em pdf, por exemplo, funções como aumentar e diminuir o tipo de letra, não estão disponíveis e o que vemos é uma página de pdf inteira, o que significa que as letras estão muito pequenas no aparelho e não encontrei forma de as aumentar até agora.

Em contrapartida, quem gosta de colecionar livros e ter uma estante preenchida, pode não gostar assim tanto de e-books, porque depois vai querer obter a versão física de algum livro que tenha gostado muito e nesse caso, ler em e-book não lhe irá compensar muito.

Como disse, isto é apenas as primeiras impressões e algumas vantagens e desvantagens do Kindle Paperwhite. Daqui a algum tempo, farei um post mais específico e com uma opinião mais ponderada e mais bem formada, caso ache que se justifique e que ficou muito por dizer.

Alguém aí tem um e-reader kindle? Se sim, quem mais funções tem o kindle que eu não referi no post? E se não tem kindle, ficaram interessados em ter? Acham que vale a pena?

Beijinhos e boas leituras!

Lia

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Prémio Melhores do Ano 2017


Para o último post do ano, trago-vos os prémios dos melhores do ano de 2017, numa versão literária criada pela Rê do canal de You Tube “Palavras Radioativas” (aqui está o link do vídeo dela: https://www.youtube.com/watch?v=hQynPDDtw9E)

Sem mais demoras, vamos passar às categorias:

1.       O gênero mais lido de 2017

Não tive um género que eu lesse mais este ano. Os que li mais são dos géneros YA, romance e banda desenhada.

2.       Melhor desfecho em um livro lido em 2017

Gostei muito do final do livro “A Química dos Nossos Corações” de Krystal Sutherland, porque me pareceu um final tão real e que se adequou na perfeição ao livro em questão. Para quem quiser ver a minha opinião completa sobre este livro, já fiz um post sobre ele, aqui no blog! (http://euliaeleio.blogspot.pt/2017/07/a-quimica-dos-nossos-coracoes-de.html)

3.       Melhor adaptação literária de 2017

Eu assisti a algumas adaptações literárias este ano, mas não li os respetivos livros, portanto não sei se foram fieis ou não. Uma das que eu assisti recentemente, no cinema, foi extraordinário. Curiosamente, não tinha muita vontade de ler o livro, mas em relação ao filme, fiquei com vontade de assistir. Acabei por sair do cinema com uma vontade enorme de ler o livro, porque o filme, esse, foi simplesmente fantástico!

4.       Melhor romance em um livro lido em 2017

Vou ter de repetir e dizer novamente “A Química dos Nossos Corações” de Krystal Sutherland, não é pelo romance dos protagonistas, mas pela forma como o amor é retratado neste livro, através de todos os personagens.

5.       Melhor fantasia lida em 2017

Este ano eu não li livros de fantasia praticamente nenhuns, por isso não tenho muita opção de escolha e tenho de dizer o livro “Eternidade” de  Alyson Noël, que é o único deste género que eu me lembro de ter lido este ano. Apesar de estar longe de ser perfeito para esta categoria. Se quiserem saber a minha opinião mais detalhada deste livro, aqui está o link do post em que falei dele: http://euliaeleio.blogspot.pt/2017/10/eternidade-de-alyson-noel.html.

6.       Melhor casal literário de 2017

Gostei bastante da Aysel e do Roman (do livro “Meu Coração e Outros Buracos Negros” de Jasmine Warga) e de como todo o afeto e carinho de um pelo outro originou uma amizade tão fantástica, mesmo no meio de uma enorme depressão. Se esta amizade se torna amor ou não, deixo-vos a vocês por descubrir. Até lá, podem ver oque eu achei deste livro no post que fiz sobre ele: http://euliaeleio.blogspot.pt/2017/05/meu-coracao-e-outros-buracos-negros-de.html.

7.       Melhor personagem masculino de 2017

Para ser sincera, não tive nenhum personagem masculino que gostasse muito, mas para não deixar a resposta em branco, escolho o Roman do livro do livro “Meu Coração e Outros Buracos Negros” de Jasmine Warga, que foi um personagem que eu gostei.

8.       Melhor personagem feminino de 2017

Neste caso, não há margem para duvidas, a melhor personagem feminina deste ano foi sem dúvida a Judy Abbott, do livro Papá das Pernas Altas de Jean Webster. Este livro é um chicklit fantástico e é dispensável dizer que me diverti imenso com esta personagem ao ler o livro!

9.       Melhor autor de 2017

Uma autora que me surpreendeu bastante este ano foi a Helena Magalhães, autora do livro “diz-lhe que não”. Simplesmente estou a amar acompanhar o trabalho dela, tanto na literatura, como em tudo o resto.

10.   Melhor livro de 2017

Tive poucos “melhores” livros, mas ainda assim, a escolha foi difícil! Mas acabei por eleger o livro “diz-lhe que não” de Helena Magalhães como o melhor livro do ano! Se quiserem saber porquê, é só lerem o post que fiz sobre ele: http://euliaeleio.blogspot.pt/2017/05/diz-lhe-que-nao-de-helena-magalhaes.html.

 
Espero que tenham gostado do último post de 2017 por aqui! Até para o ano!
 

Beijinhos e boas leituras!

Lia

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

5 livros que pretendo ler no próximo ano, sem falta!

Para quem não sabe, 2017 foi um falhanço total para a minha meta de livros lidos. Não consegui ler a quantidade que tinha planeado, nem alguns dos que eu tinha planeado inicialmente.

Li apenas 17 livros da meta de 25 que tinha planeado no início do ano. Ainda não sei se farei nova meta para 2018 ou não, mas existem alguns livros que eu não quero mesmo passar para 2019 sem ter lido. Decidi então fazer este post com alguns desses livros. No final do ano, direi se consegui lê-los ou não. Todos eles são livros que eu tenho aqui em casa, portanto não entram os livros que serão lançados no próximo ano e que pretendo ler também.

Caso não conheçam os livros em questão, podem ler a sinopse que eu colocarei por baixo de cada título.




“Eu Estive Aqui” de Gayle Forman

SINOPSE:

Cody fica chocada e arrasada com o suicídio de Meg, a sua melhor amiga. A pedido dos pais desta, Cody viaja até Tacoma, onde a amiga estudava, para reunir os seus pertences. Espantada, Cody descobre que Meg nunca lhe falara de inúmeros aspetos da sua vida. Por exemplo, os novos amigos, que são o tipo de pessoas com quem Meg nunca se daria antes de entrar para a faculdade, ou Ben, o vocalista de uma banda por quem a jovem se apaixonara. Porém, a sua maior descoberta ocorre quando acede ao computador de Meg e de repente tudo o que pensava que sabia sobre a morte da amiga se desmorona. Cody decide então levar esta descoberta às últimas consequências.

 

“Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los - O Argumento Original do Filme” de J. K. Rowling

SINOPSE:

A ação do filme Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los começa no ano de 1926, no momento em que Newt Scamander, representado por Eddie Redmayne, premiado com um Óscar da Academia, conclui uma viagem à volta do mundo para encontrar e documentar um conjunto extraordinário de criaturas mágicas.

Tendo chegado a Nova Iorque para uma breve paragem, ele poderia ter partido de imediato sem qualquer incidente... não fosse um No-Maj (termo americano para Muggle) chamado Jacob, uma pasta mágica perdida e a fuga de alguns dos monstros fantásticos recolhidos por Newt, que causam grandes problemas quer no mundo da feitiçaria quer no mundo No-Maj.

 

“Não Há Coincidências” de Margarida Rebelo Pinto

SINOPSE:

Não há coincidências conta as aventuras amorosas de Vera, uma "trintinha" solteira que oscila entre uma existência leve e o mito do príncipe encantado com quem sonha casar e ter filhos. Vera ama platonicamente João, vive com Tiago e tem um caso com Luís. Mas a sua vida muda quando se apaixona por Manel…

Eis uma narrativa divertida e envolvente que nos faz pensar que na vida não há coincidências.

 

“Delirium” de Lauren Oliver

SINOPSE:

Houve um tempo em que o amor era a coisa mais importante do mundo. As pessoas eram capazes de ir até ao fim do mundo para o encontrar. Faziam tudo por amor. Até matar. Finalmente, no século XXII, os cientistas descobrem a cura para o delírio do amor, uma perigosa pandemia que infecta milhões de pessoas todos os anos. E o governo passa a exigir que todos os cidadãos recebam o tratamento ao cumprirem 18 anos. Quando faltam apenas noventa e cinco dias para a tão aguardada cirurgia, Lena faz o impensável e sucumbe a uma irreprimível e incontrolável paixão…

 

“Gostas do que Vês?” de Rute Pinheiro Coelho

SINOPSE:

Natália e Cecília não se conhecem. São duas mulheres jovens muito diferentes, uma introvertida e amargurada, a outra confiante e determinada. Mas têm a irmaná-las o excesso de peso - e, apesar de cada uma lidar com ele à sua maneira, fugindo do espelho ou assumindo o corpo, a verdade é que nem sempre é fácil viver numa sociedade com os cânones de beleza instituídos e na qual se convive diariamente com o preconceito.

Natália está convencida de que não merece ser feliz; Cecília, pelo contrário, numa atitude desafiante, defende a beleza das suas curvas e o seu direito à felicidade, independentemente da diferença e da discriminação social.

Num mundo em que se mascara a felicidade com plásticas e dietas loucas, Rute Coelho construiu uma história realista e surpreendente sobre a forma como podemos e devemos assumir o nosso corpo, aprendendo a gostar dele através das mudanças necessárias.



Espero que consiga cumprir todas estas leituras no próximo ano! (Desejem-me boa sorte!)

Quanto a vocês, também tem livros que não querem de forma alguma deixar por ler no próximo ano? Se sim, contem-me nos comentários quais são!


Beijinhos e boas leituras!

Lia